A criação de uma obra-prima

Rolex e o cinema

Cineastas e a Rolex têm o mesmo objetivo: fazer filmes e relógios com uma qualidade que atravessa épocas.

)

Quando Marlon Brando interpretou o lendário Coronel Kurtz em Apocalypse Now, ele estava usando um relógio Rolex. Em A Cor do Dinheiro, Paul Newman ostentou um Rolex nas cenas em que jogava sinuca, interpretando o personagem Fast Eddie Felson. Em Titanic, Bill Paxton, como o caçador de tesouros Brock Lovett, estava usando um Rolex quando desceu em um submersível até o legendário transatlântico naufragado.

Usados por atores famosos em filmes icônicos, os relógios Rolex interpretaram por décadas seu próprio papel em Hollywood. E eles ainda o fazem, mesmo que a empresa nunca tenha usado técnicas de merchandising. Em vez disso, os relógios foram uma escolha pessoal dos diretores, que usaram a marca para sutilmente retratar a coragem de seus personagens — um sentido de resistência e controle, ao lado de um sofisticado senso de estilo. O simples vislumbre de um relógio Rolex deixa uma impressão forte.

Em 2017, a Rolex iniciou uma parceria formal com a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e tornou-se também Proud Sponsor of the Oscars®. As duas organizações são unidas por um senso de história e compartilham a missão de preservar e celebrar um trabalho atemporal, quer seja ele um filme ou um relógio de pulso.

Retratando o tempo

O que é preciso para fazer uma obra-prima? Para ambos, uma obra-prima é uma criação que captura um instante no tempo, desperta emoções e incita as pessoas a ver o mundo com um novo olhar. Uma obra-prima é nada menos que uma força de mudança, força esta que jamais perde sua potência. Como uma celebração da criatividade humana, ela permanece relevante, não importa quantos anos tenham se passado. Mas criar uma obra de arte da relojoaria ou um clássico do cinema exige mais do que apenas uma visão e uma ideia criativa e impactante. Isso exige uma equipe de técnicos, engenheiros e artesãos, cada qual com um papel crucial num mecanismo complexo. Em sua busca pela excelência, relojoeiros e cineastas imprimem detalhes precisos em cada etapa de seu trabalho.

Mudando a história

A Rolex aprecia a arte de contar histórias em filmes porque, depois de mais de um século de inovação, ela tem sua própria grande história para contar. Em 1926, o Rolex Oyster — uma obra-prima da arte relojoeira e o primeiro relógio de pulso impermeável do mundo — ajudou a mudar o curso da história. Pela primeira vez, as pessoas puderam se dedicar a novos estilos de vida mais ativos e ir para lugares remotos, como o topo das montanhas, com um relógio confiável, preciso e robusto.

O extraordinário nível de inovação que a Rolex conquistou — com mais de 500 patentes — e a sucessão de obras-primas da relojoaria como o Submariner, que permitiu que as pessoas mergulhassem a uma profundeza de 100 metros, foi possível graças à sua busca por excelência perene. Essa é a força que impulsiona a Rolex, seja criando os melhores relógios, seja apoiando os esportes e as artes. É por isso também que a Rolex desenvolveu uma parceria com a Academia, que é igualmente impulsionada pela busca da excelência.

Descubra a galeria

  • 1945 – Gênese do Datejust, o arquétipo do relógio clássico.
  • 1969 – Datejust com a lente de aumento Cyclops, uma inovação da Rolex.
  • 1990 – Datejust com um vidro de safira praticamente à prova de arranhões.

Parceiras no reconhecimento da excelência

Todo ano, os melhores atores, cineastas e profissionais técnicos são apresentados e julgados por seus colegas na cerimônia dos Oscars®, um dos eventos mais aguardados do mundo. A premiação dos Academy Awards® tem um propósito extremamente sério: o reconhecimento da excelência.

Em 2017, a marca se tornou Relógio Exclusivo da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e patrocinadora da cerimônia anual dos Governors Awards, que premia indivíduos pelo conjunto de sua obra no cinema. Este ano, o principal local de realização da cerimônia dos Oscars® foi mudado para a Union Station de Los Angeles, um local histórico e uma das últimas grandes estações de trem nos Estados Unidos.

Greenroom Rolex 2021

Desde 2016, a Rolex tem projetado e sediado a Greenroom, onde apresentadores e convidados especiais se reúnem antes de subirem ao palco na cerimônia dos Oscars®. Na Union Station de Los Angeles, a Rolex, que sedia a Greenroom desde 2016, criou um ambiente acolhedor sob o teto arqueado de uma das alas da estação, onde os convidados poderão relaxar e ao mesmo tempo respeitar o isolamento social. As paredes foram decoradas com tecidos reproduzindo o tema da Union Station, contando também com uma “parede verde” feita inteiramente de folhagens, acrescentando assim um toque de natureza ao interior. Uma seleção de fotografias presta homenagem à criação de obras-primas, exibindo relógios emblemáticos e a realização de filmes inesquecíveis.

Founding Supporter do Academy Museum of Motion Pictures

Com o objetivo de ajudar a preservar a herança cinematográfica para as gerações futuras, a Rolex é Founding Supporter do novo Academy Museum of Motion Pictures. Projetado pelo arquiteto Renzo Piano, vencedor do Prêmio Pritzker, o museu e centro para aficionados pelo cinema terá cerca de 4.650 metros quadrados de galerias para exibições (uma delas sediada pela Rolex, explorando sua própria relação com o cinema) e um teatro com 1.000 lugares, entre outras instalações. Destinado a ser o principal museu de cinema do mundo, ele ajudará as pessoas a compreenderem as artes e as ciências que criaram a magia do cinema.

Ao lado de exposições especiais que mergulham no trabalho dos maiores cineastas do mundo, seus visitantes terão a oportunidade de acompanhar a história do cinema, dos filmes mudos à era moderna. Já os fãs mais nostálgicos poderão ver também objetos usados em filmes, das portas do Rick’s Café Américain de Casablanca a um cenário de Cantando na Chuva, ou uma galeria com as estrelas da Era de Ouro de Hollywood, como Marilyn Monroe.

Compartilhe esta página