O pianista clássico chinês, Yundi, já havia demonstrado um talento musical excepcional mesmo antes de começar a tocar piano, aos sete anos de idade. Quando era estudante, ele venceu inúmeras competições internacionais de piano, sendo o mais jovem pianista a vencer a Competição Internacional de Piano Frédéric Chopin em 2000, com apenas 18 anos de idade. Yundi comprou este Rolex Daytona para celebrar suas conquistas, que ele atribui aos seus pais por terem acreditado no seu potencial. Para agradecer ao seu pai, ele encontrou um presente perfeito que os mantém conectados apesar da distância: um relógio Rolex.

Nas famílias chinesas, é muito comum os pais depositarem grandes expectativas nos filhos. Mas, com meus pais foi diferente. Eles me deram total liberdade para fazer o que eu quisesse. Eles são muito abertos e tolerantes. Acho que essas qualidades tiveram uma forte influência nas minhas conquistas musicais e artísticas. Foi graças aos meus pais que pude desenvolver meu potencial.

Minha carreira musical começou a decolar quando ganhei a Competição Internacional de Piano Chopin aos 18 anos. Ganhei a medalha de ouro, algo que não acontecia há 15 anos, e fui também o primeiro chinês a vencer a competição. Não passava pela minha cabeça ganhar, eu fiquei muito surpreso e liguei logo para meus pais.

Depois de ganhar o prêmio, eu fiquei pensando em me presentear com algo especial. Na época, o tempo era o que havia de mais importante para mim, por isso, eu queria um relógio que estivesse sempre comigo. Aos meus olhos, a Rolex sempre foi um símbolo de qualidade, precisão e busca pela perfeição. Isso equivale aos meus valores e aos meus objetivos na música, por isso, decidi comprar um Rolex Daytona. Era o relógio que eu estava procurando naquele momento. Então, assim como fiz com meu sonho musical, eu dei o melhor de mim para ter um.

Não passava pela minha cabeça ganhar, eu fiquei muito surpreso e liguei logo para meus pais.

Este relógio sempre esteve comigo em todos os momentos importantes, como as minhas apresentações no Carnegie Hall em Nova York, no Royal Festival Hall em Londres, e durante uma turnê no Japão. Para mim, ele tem um valor sentimental, pois testemunhou todos esses momentos. Ele é mais do que um simples relógio. Ele é mais do que um simples relógio, é testemunha da minha evolução, dos desafios que tive de enfrentar. Ele sempre esteve comigo nos momentos felizes e nos mais difíceis. Acho que ele tem vida própria.

Ele é mais do que um simples relógio, é testemunha da minha evolução, dos desafios que tive de enfrentar.

Eu queria dar a meu pai um presente de aniversário especial para agradecê-lo por tudo que ele fez por mim. Tinha de ser algo que o fizesse se lembrar de mim todos os dias. Foi por isso que eu dei a ele um Rolex, na esperança de que fosse uma companhia, assim como o meu relógio foi para mim. Desde então, de uma certa forma, nós temos um vínculo especial. Hoje, onde quer que eu me apresente no mundo, é como se estivéssemos sempre conectados pelo tempo e por esses dois relógios.

A história que compartilho com vocês é um relato sobre o meu amor pela música, pelos meus pais e por tudo o que o tempo me trouxe. É o tesouro que levarei comigo a vida inteira.

O RELÓGIO DE YUNDI

Oyster Perpetual Cosmograph Daytona

Compartilhe esta página