Michael Bublé cresceu sonhando em se tornar um cantor famoso. Antes de vender 50 milhões de discos no mundo inteiro, ganhar quatro Grammys e ter quatro álbuns consecutivos no topo da parada Billboard 200, Bublé lutou por 10 anos para tornar seu sonho realidade. Depois de inúmeras noites cantando diante da família e de amigos, o sucesso finalmente sorriu para ele. Após o sucesso de seu primeiro álbum, sua gravadora lhe ofereceu um Rolex. Desde então, este relógio se tornou um símbolo de todo o trabalho e dedicação que o permitiram realizar seu sonho.

A música faz parte do meu ser e da minha alma desde que me conheço por gente. Comecei a dedicar minha vida à música de maneira inconsciente. Mas levei muito tempo para chegar onde cheguei.

Malcolm Gladwell, um grande escritor canadense, afirma que são necessárias 10.000 horas de trabalho para se tornar realmente bom em algo. E ele tem razão. Se você quer realmente se tornar especialista em algo, precisa dedicar seu tempo a isso. E também deve aceitar o fato de cometer erros. Quanto mais longe eu ia e quanto mais saía da minha zona de conforto, mais eu crescia e aprendia sobre mim mesmo.

Se você quer realmente se tornar especialista em algo, precisa dedicar seu tempo a isso.

Minha família e meus amigos me ajudaram muito durante esses anos de aspirações. Houve muitas noites em que não haveria ninguém na plateia se minha família e meus amigos não tivessem ido me ver. Realmente, ninguém. Depois de uma década de sacrifícios, procurando meu caminho e esperando que alguém me desse uma oportunidade, a Warner Bros. Records finalmente me contratou, e um dos primeiros presentes que ganhei quando meu primeiro disco fez sucesso foi um Rolex. Eu presenteei meu pai com este relógio por todo apoio que ele me deu. Acho que isso significou muito para ele. Minha mãe sempre dizia brincando que meu pai tomava banho com o braço para fora do chuveiro para proteger o relógio — embora fosse à prova d'água.

Eu nunca fui uma pessoa materialista. Eu venho de uma família da classe operária, acostumada a trabalhar duro. Ter me tornado um Embaixador Rolex há 10 anos me fez lembrar de onde venho e do quão longe cheguei. Eu nunca tirei o relógio. Agora, tomo banho com o braço para fora do chuveiro, como meu pai.

Ter me tornado um Embaixador Rolex há 10 anos me fez lembrar de onde venho e do quão longe cheguei.

Os momentos especiais que me unem à Rolex são momentos em que compartilhei meu amor pela marca com as pessoas que mais amo. Eu toquei com a minha banda durante uma boa parte da minha vida e, quando completamos 10 anos juntos, presenteei cada um deles com um Rolex. Agora somos uma espécie tipo de turma Rolex. Outra pessoa que presenteei foi um médico que salvou a vida do meu avô. Quando precisei demonstrar o que ele significava para mim, não consegui pensar em outra coisa que ele pudesse usar e lembrar todos os dias de que tinha mudado a minha vida.

Quando olho para o meu relógio hoje, vejo um símbolo do meu sucesso. Ele representa trabalho duro, dedicação, sorte e uma combinação de vários anos em que muitas pessoas acreditaram em mim e me incentivaram a não desistir — é isso o que vejo. Eu vejo o filho de gerações de pescadores que nunca imaginou possuir um objeto tão valioso um dia. É maravilhoso segurar um objeto que foi conquistado graças ao seu trabalho e sacrifício. É um exemplo concreto do que pode acontecer se você nunca desiste, se dedica e nunca aceita a palavra “não”.

O RELÓGIO DE MICHAEL BUBLÉ

Oyster Perpetual Cosmograph Daytona

Compartilhe esta página