A tenista hispano-venezuelana Garbiñe Muguruza aprendeu sobre a importância da dedicação na tenra idade de cinco anos, quando seus pais decidiram se mudar para outro país a fim de apoiar sua carreira. Dezesseis anos depois, em 2014, a carreira de Muguruza finalmente decolou. Após aquele ano de sucesso, ela adquiriu seu primeiro Rolex como um lembrete da primeira vez em que ficou no top 20 do ranking mundial e que o resultado do sacrifício é a recompensa.

Quando eu tinha cinco anos, minha família tomou a difícil decisão de se mudar da Venezuela para a Espanha. Meus pais abandonaram tudo para que eu pudesse me tornar uma tenista profissional. Eu aprendi que os sacrifícios são recompensados.

Meus pais abandonaram tudo para que eu pudesse me tornar uma tenista profissional. Eu aprendi que os sacrifícios são recompensados.

Percorri um longo caminho para conseguir ter sucesso no tênis. Tudo está na preparação antes dos torneios, pois durante as competições, tudo parece perfeito, as pessoas nos veem naquela quadra enorme com belas roupas e tudo é lindo, mas aquilo não é a vida real. A vida real está nos vestiários, onde ninguém está observando, com as lágrimas e os temores que acompanham o antes e o depois de um jogo, e nas intermináveis horas de treinamento.

Toda vez que eu entro na quadra, eu sei que tenho de ser corajosa. Chega uma hora em que é preciso não ter medo. É bom ter temores, eles te fazem lembrar daquilo que você deseja. Eu adoro ganhar, adoro entrar na quadra e jogar com um espírito de luta. Eu sei que há uma pessoa diante de mim que quer me vencer, mas eu tenho muito mais determinação do que ela.

Todo mundo tem suas expectativas e eu acho que a grandeza consiste em alcançar seus próprios objetivos — sejam quais forem. O ano de 2014 foi excelente para mim, eu cheguei à quarta rodada do Australian Open, venci pela primeira vez Serena Williams, minha heroína de infância, e finalmente terminei entre as 20 primeiras do ranking, algo que foi extremamente importante para mim.

Meu pai e minha mãe possuem um Rolex desde que eu era criança, e eu sempre quis ter um. Mas meu pai me disse: “Você tem que ganhá-lo, tem que trabalhar duro e um dia você poderá comprar um”. No final daquele ano, senti que o momento tinha finalmente chegado, que eu merecia uma recompensa por tudo que tinha alcançado.

Eu queria algo que fosse tão maravilhoso quanto aquele ano foi para mim, algo que me lembrasse daqueles momentso, antes de ter outros objetivos. Naquele ano, na época de Natal, eu pedi a meus pais que me acompanhassem para comprar meu primeiro relógio, no qual mandei gravar meu nome e o ano de 2014.

Quando olho para o meu relógio, eu vejo felicidade. Eu vejo o quanto trabalhei duro para conseguir o que queria, me vejo como uma mulher independente. Eu me vejo dando o melhor de mim para realizar meus sonhos.

O RELÓGIO DE GARBIÑE MUGURUZA

Oyster Perpetual Datejust 36

Compartilhe esta página