Atualização do navegador necessária

Bem-vindo(a) ao site rolex.com. A fim de lhe proporcionar a melhor experiência possível no site rolex.com, é necessário que o seu navegador seja atualizado. Por favor, utilize a versão mais recente disponível para navegar em nosso site.

Siga a Rolex no WeChat por meio da leitura do código QR.
O relógio Rolex de Kathryn Bigelow

Bigelow

Kathryn

Uma pioneira do cinema

Ela é a primeira e única mulher a ganhar um Oscar de melhor direção. Kathryn Bigelow é especialista na narrativa visual, sua perseverança e preferência por assuntos que promovam mudanças estão redefinindo o panorama do cinema contemporâneo. A diretora norte-americana também atua como produtora e roteirista para muitos de seus filmes.

Kathryn, que originalmente estudou pintura no San Francisco Art Institute antes de obter um Master em Cinema na Columbia University e se tornar cineasta, coescreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem The Loveless em 1981, recebendo elogios da crítica. Nos anos 1990, ela dirigiu uma trilogia de filmes na qual desafiou as convenções existentes sobre filmes de ação e foi recebeu elogios por sua estética: Jogo Perverso (1989), Caçadores de Emoção (1991) e Estranhos Prazeres (1995), escrito e produzido por seu colega Embaixador Rolex James Cameron.

rolex_and_cinema_2018_kathryn_bigelow_0001.mp4

Os filmes políticos de ação que ela produziu na sequência consolidaram sua posição de destaque em Hollywood; Guerra ao Terror, de 2008, e A Hora Mais Escura, de 2012, com os quais conseguiu indicações para o Oscar; e um Oscar de melhor direção e melhor filme para Guerra ao Terror. Seu filme mais recente, Detroit, do qual foi diretora e produtora, é inspirado nos protestos que aconteceram em Detroit, em 1967, que tinham relação com a violência racial nos EUA. Seus filmes incitam uma reflexão sobre a política e a consolidaram como uma verdadeira autora.

Kathryn Bigelow e o Cinema

“Acho que as pessoas podem aprender umas com os outras e mudar. Creio que o cinema pode ajudar nessa mudança. O propósito da arte é contribuir com a mudança."

O relógio de Kathryn Bigelow

Seus filmes abordam problemas históricos que refletem a sociedade e, por sua vez, ajudaram a definir a mesma sociedade apresentada em seus trabalhos atemporais.

Kathryn Bigelow considera o cinema como uma experiência jornalística: “Se o propósito da arte for ajudar na mudança, então o cinema precisa nos expor algo que ainda não conhecemos”. 

Sobre aparecer ao lado dos outros três diretores no filme da Rolex, ela declarou que se sentia “extremamente emocionada e honrada por estar em companhia de talentos tão extraordinários e essenciais”.

“Me interesso pelo cinema como uma experiência jornalística, capaz de incitar a reflexão e expandir nossa percepção e nossos horizontes.”

Kathryn Bigelow